sobre_cpg_1.png

Notícias

Volume total de contratação pode ultrapassar a marca de 6 milhões de m³/dia até 2024; Desafios ligados à regulação do transporte ainda dificultam a abertura do mercado de gás no país.

As Distribuidoras de Gás Canalizado do Centro-Sul do país lançam nesta segunda-feira (01/03) uma nova chamada pública para aquisição de gás natural, com um volume projetado em mais de 6 milhões de m³/dia até 2024, o que vem atraindo a atenção de um número expressivo de novos agentes e potenciais supridores. A iniciativa das empresas: MSGÁS (Companhia de Gás do Estado de Mato Grosso do Sul), GasBrasiliano (Gas Brasiliano Distribuidora), Compagas (Companhia Paranaense de Gás), SCGÁS (Companhia de Gás de Santa Catarina) e SULGÁS (Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul) visa contribuir com a abertura do mercado de gás natural no país através da diversificação de fontes e agentes supridores, buscando sempre mais competitividade aos mercados cativos atendidos, mediante o impulso da concorrência na oferta de gás natural.

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) estuda alternativas para aproveitamento do lodo excedente gerado no processo de tratamento de esgoto para a produção de gás biometano. O assunto foi tema de encontro na manhã desta segunda-feira (22) entre representantes da Sanepar e da Companhia Paranaense de Gás (Compagas). O diretor-presidente da Compagas, Rafael Lamastra Junior, e o assessor de Novos Negócios, Luciano Cherobim, visitaram as obras de ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Belém, em Curitiba. Eles foram recebidos pelo diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile, pelos diretores Leura Conte de Oliveira (Investimentos) e Sergio Wippel (Operações), pelo gerente de Pesquisa e Inovação Gustavo Possetti, pelo gerente de Tratamento de Esgoto, Ernani Ramme, pela engenheira Josiane dos Santos Castro Corrêa e pelo gestor da ETE Anderson Ribaski.


Atualmente, o lodo gerado na ETE Belém, que é a maior estação de tratamento de esgoto do Paraná, é transformado em energia elétrica pela empresa CS Bioenergia. A obra da ETE Belém aumentará a capacidade de tratamento de esgoto de 1.500 litros/segundo para 2.520 litros/segundo, o que resultará também em maior volume de lodo. O excedente desse material é que poderá ser aproveitado na geração de biometano.


“Ainda estamos estudando alternativas, mantendo o foco de que o lodo tenha aproveitamento sustentável. Ou seja, tenha destinação ambientalmente adequada, com produção de biometano e ainda gerando receita para a Companhia”, afirma o diretor-presidente da Sanepar.


“Vamos participar e contribuir com os estudos para que possamos, em breve, incluir em nossa matriz de fornecimento um combustível sustentável e renovável”, destaca Lamastra.


A Sanepar foi pioneira na geração de biometano a partir do processo de tratamento de esgoto na década de 1980. Na ETE Bom Retiro, em Londrina, o gás gerado na estação era aproveitado como combustível dos carros da frota da Companhia. E, em Piraí do Sul, era produzido gás de fogão, distribuído para moradores do entorno da ETE.

Cinco projetos das áreas da saúde, esporte e cultura foram selecionados pela Companhia

Como forma de contribuir para a melhoria e o desenvolvimento das comunidades em que atua, a COMPAGAS (Companhia Paranaense de Gás) selecionou cinco projetos para o recebimento de patrocínio incentivado em 2020 para aplicação neste ano. A destinação total foi de cerca de R$ 340 mil e beneficiará projetos voltados às áreas da saúde, esporte e cultura. "Ao apoiar ações ligadas à promoção do esporte e de amparo à saúde e de inclusão, nos envolvemos ainda mais com a nossa comunidade, entendendo seus desejos e suas necessidades reais, e reforçamos nossa vocação de ser uma empresa feita por pessoas e para as pessoas", afirmou Rafael Lamastra Jr., diretor-presidente da COMPAGAS.

Novo edital está previsto para o primeiro trimestre de 2021 e volume total ultrapassa a marca de 6 milhões de m³/dia

Uma nova Chamada Pública Coordenada das Distribuidoras de Gás Canalizado do Sul, Sudeste e Centro-Oeste está prestes a ser lançada. Com um volume total de aquisição projetado em mais de 6 milhões de m³/dia, para o médio prazo, a iniciativa tem o compromisso de contribuir com a abertura do mercado de gás natural no país, através da diversificação de fontes e agentes supridores, buscando oferecer maior competitividade aos mercados atendidos mediante o impulso da concorrência na oferta de gás natural. Participam deste processo a MSGÁS (Companhia de Gás do Estado de Mato Grosso do Sul), a GasBrasiliano (Gas Brasiliano Distribuidora), a COMPAGAS (Companhia Paranaense de Gás), a SCGÁS (Companhia de Gás de Santa Catarina), e a SULGÁS (Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul).

A Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar) realiza, no próximo dia 16 de dezembro de 2020, das 9h às 11h, a Audiência Pública de apreciação, críticas e sugestões para Minuta do Regulamento de Implantação do Sistema de Conta Gráfica do Custo do Gás e seu impacto na tarifa de distribuição, praticado pela Companhia Paranaense de Gás (Compagas).

Compartilhar

Utilizamos cookies para melhorar o desempenho do nosso site e oferecer uma experiência de navegação mais personalizada. Se você continuar a navegar neste site ou fechar esta mensagem sem modificar as definições do seu navegador, os cookies continuarão ativos. Saiba mais sobre cookies e como alterar as configurações do seu computador, acessando nosso Termo de Privacidade.