sobre_gn_1.png

 

Com o objetivo de incentivar o plantio de árvores nativas em todo o estado, o Governo do Estado lançou o programa Paraná Mais Verde. O propósito é arborizar a área rural e urbana dos 399 municípios paranaenses.

Nesta segunda-feira, dia 23 de setembro, uma ação coordenada para o plantio de árvores foi realizada em todas as instituições de ensino no Paraná como marco inicial do programa. O diretor-presidente da Compagas, Rafael Lamastra, foi o padrinho da ação no Colégio Estadual de Educação Profissional (CEEP) Newton Freire Maia. “Fiquei muito contente ao receber este convite do secretário de Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes. Acredito que estamos em um momento oportuno para fomentar em toda a sociedade a importância da preservação do meio ambiente e da realização de ações e programas que incentivem a arborização em todas as cidades do Paraná”, afirma Lamastra. 

Na data, foram distribuídas em todo o Estado 413 mil mudas nos 2.146 colégios da rede pública estadual de ensino. Segundo o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, “é uma ideia emblemática, em um momento em que o País sofre com queimadas. O Paraná vai ficar ainda mais verde”, declara. Além do plantio de árvores nas instituições de ensino, cada aluno levou uma muda para casa.

Na ação, às 14h no CEEP Newton Freire Maia, em Pinhais, o assessor da presidência, Alexandre Lima, representou o diretor-presidente da Compagas.

MUDAS — Alusivo ao Dia da Árvore e da Primavera, as mudas distribuídas são do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), que mantém 19 viveiros para preservação de espécies nativas, inclusive as ameaçadas de extinção, como Imbuia, Araucária e Peroba Rosa. Os viveiros ficam nos municípios de São José dos Pinhais, Morretes, Fernandes Pinheiro, Paulo Frontin, Guarapuava, Pato Branco, Salgado Filho, Toledo, Cascavel, Pitanga, Imbaú, Ivaiporã, Umuarama, Campo Mourão, Mandaguari, Ibiporã, Cornélio Procópio, Jacarezinho e Paranavaí.

QUEIMADAS — Comparados ao ano de 2018, neste ano os números de infrações e multas mais que dobram. Ano passado, foram 262 infrações e R$ 2,4 milhões em multas por causa de queimadas, além de R$ 361 milhões por danos à flora e cortes de árvore. Neste ano, até agora, R$ 5,6 milhões em multa foram aplicados por conta de queimadas de 880 infrações identificadas pelo IAP, que intensificou a fiscalização. Também foram registrados 1150 infrações, somando R$ 12,2 em multa por danos à flora e cortes de árvore.