sobre_gn_1.png

Compagas alerta para a utilização correta dos aparelhos a fim de evitar acidentes com monóxido de carbono

 O inverno chegou e deixar a casa quentinha e aconchegante pode se tornar um desafio. Por isso, durante a estação, o trabalho dos equipamentos a gás aumenta - afinal, nada melhor do que tomar um banho quentinho, relaxar em frente à lareira ou usar aquecedores para driblar o frio. Mas é preciso ter um cuidado redobrado com a instalação e manutenção destes aparelhos, principalmente durante os dias em que as temperaturas estão mais baixas.

 Isso porque, para manter o calor dentro de casa, é normal que as pessoas deixem portas e janelas fechadas por mais tempo. E ambientes mal ventilados se tornam o cenário ideal para o acúmulo de um gás tóxico: o monóxido de carbono. Sem cor e nem cheiro, este gás é de difícil percepção e sua inalação pode ser fatal. "Por isso, indicamos a instalação dos aquecedores a gás na área de serviço, que costuma ser o local mais arejado da casa", explica Mauro Melara, gerente comercial da Companhia Paranaense de Gás (Compagas).

 Além de manter a ventilação permanente no ambiente em que o aquecedor estiver instalado, é preciso que a manutenção dos equipamentos seja realizada periodicamente de acordo com as indicações do fabricante e por empresas credenciadas aos conselhos técnicos (CREA ou técnicos). "Para evitar acidentes, os equipamentos precisam ser instalados de acordo com as normas técnicas vigentes e devem ser mantidos em bom estado de conservação. Também é preciso ficar atento à vida útil dos aparelhos", destaca Melara.

 De acordo com o gerente da Compagas, uma dica para verificar se o equipamento a gás está funcionando de forma adequada é observar a cor da chama - que deve ser azul. Se ela estiver com outra coloração (amarela, alaranjada ou roxa), o aparelho pode estar funcionando de forma defeituosa. Neste caso, é preciso chamar um profissional qualificado para revisar o equipamento e a ventilação.