veicular1.png

Combustível será utilizado em diferentes etapas da produção de cerveja

 

(Curitiba, novembro de 2017) O mercado de cervejas artesanais está em alta no Brasil e no Paraná o cenário não é diferente, já que a capital paranaense é hoje um dos principais polos cervejeiros do país. Os empresários do segmento têm buscado alternativas produtivas, perseguindo aumentar a competitividade e a economia. Consequentemente, cada vez mais cervejarias paranaenses escolhem o gás natural para seus processos de produção.

É o caso da Cervejaria Bodebrown, que nesta semana iniciou o consumo do gás natural na sua nova fábrica em Curitiba para diferentes etapas da produção da cerveja. Atualmente, a empresa produz mais de 36 mil litros e cerca de 56 tipos de cerveja. A nova fábrica, instalada no bairro Hauer, na capital paranaense, passou a ser atendida pela rede de distribuição da Compagas, de forma a garantir o fornecimento contínuo do gás natural à unidade. Além desta vantagem, o novo cliente contará ainda com mais segurança e praticidade, pela não necessidade de estoques de combustível e consequente reabastecimento periódico, além de maior competitividade, pelo preço reduzido.

O gerente do segmento industrial da Compagas, Mauro Melara, acrescenta ainda outras vantagens do gás natural não só para as cervejarias, mas para indústrias em geral, como a redução dos custos operacionais com manutenção de equipamentos, uma vez que o combustível não deixa resíduos, e o benefício ambiental, pois a queima do insumo possui baixa emissão de poluentes.  “As possibilidades para utilização do gás natural na indústria são inúmeras. O insumo pode substituir com eficiência qualquer combustível sólido, líquido ou gasoso, ser aproveitado como matéria-prima, utilizado em sistemas de climatização e também para geração de energia elétrica em horários de ponta”, conclui o gerente da Compagas.